Oficial SUPERIOR fala sobre os pedidos de INTERVENÇÃO no desfile de 7 de setembro no Rio de Janeiro

Manifestação no Rio de Janeiro – Imagem recebida pelo Whatsapp

No desfile militar do RIO de JANEIRO e em Brasília destacaram-se a presença de várias faixas e cartazes pedindo intervenção militar. Em Brasília ouviu-se um coro de “a nossa bandeira jamais será vermelha”, a imprensa atribuiu isso à apoiadores de TEMER. Mas, intervencionistas alegam que foram os autores.

No desfile ocorrido em São Paulo a imprensa registrou pedidos de intervenção militar.

Está mais que óbvio que os militares já perceberam isso tudo, o comandante Villas Bôas já se manifestou algumas vezes sobre o assunto. Contudo, pelo que já ouvimos de vários militares, alguns estão realmente surpresos. Esperava-se, com o passar do tempo e com as próprias declarações de Villas Bôas rechaçando a ideia, que o grupo se reduzisse. Mas, o que ocorre parece ser o contrário, mesmo com a exoneração de DILMA os intervencionistas parecem estar crescendo em número e disposição.pedidos de intervenção sociedade militar

PERCEPÇÃO

A Revista Sociedade Militar questionou um oficial superior que esteve presente no desfile de 7 de setembro no Rio de Janeiro sobre os pedidos de intervenção e a percepção dos militares.

O senhor ouviu algum pedido de intervenção militar? Isso foi notado pelo mais antigo presente?

Pessoalmente não ouvi, apenas vimos as faixas. É obvio que foi notado. Há muito tempo sabemos que há gente pedindo intervenção militar. Eles ficaram acampados em São Paulo e vez por outra aparecem em Brasília na troca da bandeira. O Comandante pessoalmente já foi assediado por eles. Mas, não há a mínima chance de obter êxito nessa reivindicação. Não poderia deixar de dizer que notável a persistência dessa gente. … no contexto atual, de normalidade democrática, o Exército tem é que contribuir para que o país seja cada vez mais estável e temos plena certeza que é isso que vai continuar sendo feito …  ”

Veja: Movimento anti-esquerda cresce no RIO de JANEIRO

SOCIEDADE MILITAR USA O TELEGRAM – https://telegram.me/sociedademilitar

Revista Sociedade Militar

Comentários no Facebook