LIMPEZA GERAL no EXÉRCITO – Mais de 500 militares podem perder aposentadoria e devolver os valores recebidos.

Tudo leva a crer que a força terrestre estará realizando uma devassa em reformas concedidas nos últimos anos. A tendência é que, depois do que ocorreu no SUL do Brasil, onde foram descobertas centenas de fraudes ligadas á aposentadoria de militares que prestaram serviço temporário, o EXÉRCITO BRASILEIRO e as outras forças realizem um “pente fino” em todo o território nacional.

A operação REFORMADOS descobriu um gigantesco esquema fraudulento no SUL do Brasil e, segundo o próprio Exército Brasileiro, a fraude consistia na apresentação de atestados médicos falsos, que “comprovavam” doenças psiquiátricas e outros artifícios enganosos com o objetivo de iludir as instituições militares.

Os Militares se alistavam para servir como temporários e depois de dar baixa, por meio de advogados especializados, ingressavam com ações para reintegração por motivo de doença, alegando que os problemas de saúde eram relacionados ao serviço executado no Exército Brasileiro. O objetivo era obter a reintegração judicial às Forças Armadas desses militares temporários e depois obter a reforma com recebimento de salários de forma vitalícia.

Vários militares reformados como incapazes definitivamente para o trabalho foram flagrados exercendo atividades remuneradas e sem aparentar qualquer problema de saúde.

Um escritório de advocacia estabelecido no município de Canoas promovia o suporte para a propositura de ações judiciais que sacramentavam as fraudes.

O contingente de reintegrados judiciais no Rio Grande do Sul alcança a cerca de 500 casos, com quase uma quarta parte alegando problemas psiquiátricos, e custa aos cofres públicos aproximadamente R$ 20 milhões de reais ao ano, pagos pelos contribuintes.

Os crimes investigados são estelionato e falsidade ideológica, incluindo encenação de problemas mentais / psiquiátricos perante juntas médicas formadas por militares, propositura de ações com atestados médicos falsos, entre outros possíveis. As investigações seguem para apurar o prejuízo causado e o número de pessoas envolvidas nas fraudes.

Revista Sociedade Militar – Informações de VALÉRIO STUMPF TRINDADE – General de Divisão

Comentários no Facebook