Coronel – Aviador chama General PUJOL de mentalmente incapaz e atira pesadas críticas contra Forças Armadas, acusando MILITARES de CONSERVADORISMO e anti-patriotismo.

Coronel – Aviador chama General PUJOL de mentalmente incapaz e atira pesadas críticas contra Forças Armadas, acusando MILITARES de CONSERVADORISMO e anti-patriotismo.

Revista Sociedade Militar RJ/ — Um coronel-aviador reformado da Aeronáutica causou polêmica com suas declarações fortes contra os próprios colegas das Forças Armadas. Sued Castro Lima tem mais de 5.500 horas de vôo e já deixou o serviço ativo.

Numa entrevista publicada pelo Brasil de Fato, o militar discorreu sobre a situação atual e não poupou companheiros de farda em sua fala.

Sued disse que os militares de hoje pensam da mesma maneira que pensavam nos anos 60, quando reagiram contra a investida comunista. Pelo que declarou ao jornal online o oficial é a favor das falidas estratégias do Partido dos Trabalhadores que – entre outras ações – desejava alçar aos altos postos das Forças Armadas os militares mais “progressistas”.

Sobre isso o coronel disse: “Os governos chamados progressistas que dirigiram o Brasil nos últimos anos não esboçaram qualquer movimento para mudar esse quadro de predomínio total do ideário conservador, que bloqueia na oficialidade a capacidade de identificar os reais inimigos do país… Não é temerário afirmar que o pensamento político do militar brasileiro, com pontuais exceções, está estacionado na década de 1960”.

Sobre o submarino nuclear o coronel disse que a prisão do ALMIRANTE Othon é uma das principais causas do atraso na conclusão do projeto, com estimativa de termino em 2027. O oficial levanta dúvidas sobre a necessidade de se condenar OTHON Luiz a 43 anos de prisão e se não existe interferência dos estados Unidos na imposição do que chama de “pena absurda”.

“…  há algo de escabroso por trás dessa pena absurda. Não se descarte a possibilidade de que tais ações façam parte da estratégia da grande potência mundial no sentido de eliminar o surgimento de dificuldades que se contraponham a alguma futura intervenção imperialista em nosso país…”

O almirante Othon Luiz foi posto em liberdade nessa quarta-feira (11/10/2017) por determinação do TRF2 que respondeu positivamente a um Habeas Corpus.

Sobre a reaproximação do Brasil com os Estados Unidos, com militares americanos inclusive participando de exercícios na Amazônia e brasileiros com previsão de participar de exercícios nos EUA, o militar usou o termo “movimento antipatriótico”. Ao que parece, pelo que declara, o militar acredita ser mais salutar a aproximação com países do BRICS, como Rússia e China.

“Já em 2006, o Brasil passara a formar o bloco econômico de nome BRIC (depois BRICS), constituído pela Rússia, Índia, China e África do Sul… Com o golpe de 2016, essas medidas vêm sendo esvaziadas, num movimento profundamente antipatriótico. “

Sobre a crise política atual, ao contrário do que diz o Comandante do Exército, que afirma que a cúpula militar está coesa, o militar da FAB diz que há sim potencial de que surjam “conflitos no interior da cúpula militar”. Criticou os generais MOURÃO, Etchegoyen e Pujol, dizendo que infringem regulamentos ao se manifestar politicamente. Sobre o General PUJOL,  atual comandante militar do Sul, chega a dizer que duvida de sua capacidade cognitiva por ele se posicionar contra o chamado “caderno de teses do PT”, também criticado por vários outros generais, incluindo o atual comandante do Exército.

Disse: “É de se duvidar da capacidade cognitiva de Pujol… Não é surpreendente que o general Sérgio Etchegoyen se coloque favorável à venda de empresas estatais a estrangeiros, pois tal postura é coerente com sua linhagem familiar, que vem assim desde a década de 1940. Com ele, alinha-se o general Hamilton Mourão, conforme deixou claro na palestra proferida na casa maçônica de Brasília…

Veja: PT Admite que deseja alterar currículos militares e escolher oficiais alinhados com sua ideologia

Site/ fonte  da ENTREVISTA: Brasil de FATO

Robson A.DSilva – Revista Sociedade Militar

Comentários no Facebook