Ao elogiar Bolsonaro e dizer que ‘não há portas fechadas’, Mourão sinaliza para projeto político

General Mourão (Imagem: EB)
O que ficou muito claro após as declarações da última quinta-feira é que o general Mourão está seguindo cuidadosamente um roteiro previamente traçado. Não tenho certeza sobre seu objetivo final, mas permito-me fazer algumas ponderações dominicais. Vamos lá!
Fala aos maçons: ocasional, pero no mucho!
Já não parece tão ocasional a fala de Mourão aos maçons no dia 15 de setembro. Respondendo a uma pergunta, ele disse que os militares poderão ter de “impor isso [intervenção]” e que essa “imposição não será fácil”.
Panos quentes
“Esta questão está resolvida internamente. Punição não vai haver. A maneira como Mourão se expressou deu margem a interpretações amplas, mas ele inicia a fala dizendo que segue as diretrizes do comandante. E o comando segue as diretrizes de promover a estabilidade, baseada na legalidade e preservar a legitimidade das instituições”, disse o general Villas Bôas sobre o assunto no Programa do Bial.
Seguindo as diretrizes, só que nao!
Mourão não estava seguindo as diretrizes do Comando na semana passada, ao defender novamente a aberração jurídica da intervenção militar ‘dentro dos preceitos constitucionais’.
Bolsonaro
Ao afirmar que “…obviamente, nós, seus companheiros, dentro das Forças, olhamos com muito bons olhos a candidatura do deputado Bolsonaro”, Mourão quis passar a impressão de que falava em nome do Alto Comando. Nada mais falso. Basta relembrar a trajetória do pseudo-mito para saber que o Exército nunca morreu de amores por Bolsonaro, chegando inclusive a proibí-lo de entrar nos quarteis. O general deu tom definitivo a uma opinião individual, que está longe de ser consenso.
Portas abertas para a política?
A declaração de simpatia pela candidatura de Bolsonaro vai ao encontro desta outra: “Eu apenas digo uma coisa: não há portas fechadas na minha vida”, disse Mourão sobre uma possível candidatura.
Caso pensado
Analisando todos os fatos, fica evidente que Mourão agiu deliberadamente para provocar uma situação limite, tornando imperativa uma atitude enérgica do Governo e do Exército. Com isso, ganhou mais visibilidade e atenção da mídia. Claramente, está semeando. Resta saber o que espera colher.
Cenas dos próximos capítulos
A provável passagem Mourão para a reserva nos próximos dias e os desdobramentos do cenário político deverão indicar com mais clareza qual o objetivo do general. Aguardemos.

Comentários no Facebook